Nosso Blog é melhor visualizado no navegador Mozilla Firefox.

Pesquisar este blog

Total de visualizações de página

Google+ Followers

Follow by Email

Translate

Seguidores

sábado, 25 de abril de 2009

Religião e niilismo: paidéia crítica em Os demônios de Dostoievski

Religião e niilismo: paidéia crítica em Os demônios de Dostoievski

Dissertação de mestrado em Ciências da Religião (PUC-SP).

Data da defesa: 05/12/2007.

Resumo: Objetivo: Tratar a filosofia da religião em Dostoiévski como um testemunho, que nos revela não só uma poderosa crítica religiosa aos desdobramentos do ateísmo moderno, mas ainda, ampliando nosso repertório, pelo acesso a este pensador religioso como forma de conhecer a religião. Justificativa: Dostoiévski trata em Os Demônios os excessos da secularização em ética e pedagogia e indica que o esquecimento da categoria de santidade, caracterizada principalmente pela relação de simetria entre o homem e o transcendente, o ateísmo como legado antropocêntrico do projeto racional moderno, produz miopia moral inviabilizando o discernimento em meio ao caos relativista. Hipótese: A dinâmica do niilismo, caracterizando os movimentos viscerais do ser humano em processo de auto-destruição, está enraizado no que Berdiaev definiu como liberdade incriada, de onde brota nossa Imago Dei, não passível às normas, que habita a alma humana com o Nada. Procuraremos demonstrar que o atravessamento deste Nada, o eixo da pedagogia dostoiévskiana que considera a realidade do pecado e do mal, constitui uma Paidéia crítica e religiosa. Aspectos teórico-metodológicos e resultado obtido: Como procedimento esta pesquisa aprofundou a interpretação do sentido da obra, e da dinâmica dos personagens, pela análise de seu conteúdo, em estreita relação e diálogo com os referenciais teóricos relevantes para a compreensão dos fundamentos teológicos presentes no pensamento de Dostoiévski. Neste sentido, o resultado obtido atingiu o objetivo proposto: o enfrentamento do ateísmo moderno com os instrumentos da filosofia da religião, que busca uma compreensão ampliada como repertório necessário para o diálogo entre educação, religião e moral, constitui uma Paidéia crítica, e identificou ainda, a atualidade desta obra para o homem no mundo contemporâneo.